“Serviçais” de Allyson entregam cheque em branco de R$ 183 milhões ao prefeito

“Serviçais” de Allyson entregam cheque em branco de R$ 183 milhões ao prefeito

O desgoverno do prefeito de Mossoró Allyson Bezerra(Solidariedade) bancado por seus vereadores da bancada governista na Câmara Municipal de Mossoró, que se comportam como verdadeiros serviçais do Palácio da Resistência continua provocando rombo nas finanças municipais.

Com maioria, governista garantiram um crédito suplementar de R$ 183 milhões ao prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade), sem respeitar o prazo regimentar para avaliação do projeto, numa claro demostração de desrespeito ao Regimento Interno do Legislativo. Além, disso os governistas autorizaram a renegociação de dívida da previdência municipal que vai reduzir em mais de R$ 1 milhão o repasse mensal do Executivo para a Previ.

Os projetos foram aprovados em sessão extraordinária, realizada na segunda-feira, 28, sob a desconfiança e protesto de vereadores da oposição, que votaram contra.

A polêmica principal girou em torno do Projeto de Lei Ordinária do Executivo 24/2022, que autoriza abertura de crédito suplementar no Orçamento do Município, no valor de R$ 183.160.855,99. Segundo a justificativa do prefeito, os recursos são para pagamento do reajuste salarial dos professores. Só que o impacto financeiro com o reajuste de 33,67% é de R$ 40 milhões, sendo R$ 25 milhões no orçamento deste ano e R$ 15 milhões no orçamento de 2023, uma vez que o reajuste será pago em sete parcelas distribuídas em 19 meses, devendo ser concluindo somente em novembro do próximo ano. Portanto, o crédito suplementar aprovado representa seis vezes o valor necessário para honrar o compromisso de 2022. É equivale a mais de 70% do orçamento total da Educação para este ano, que é de 248.695.377,00.

No caso do parcelamento de débitos da Prefeitura com a Previdência Municipal, contido no Projeto de Lei Ordinária do Executivo 27/2022, o prefeito Allyson vai renegociar a dívida em 240 meses, com isso, o Executivo ganhará uma redução de mais de R$ 1 milhão/mês em relação aos valores atuais.

Mesmo diante de todos esses absurdos ainda aparece jornalista defendendo os excessos do prefeito bancado por sua maioria, e tentando desqualificar o voto contrário dos vereadores oposicionista

Os projetos foram aprovados por 12 vereadores governistas contra 10 votos de vereadores da oposição e do bloco Diálogo e Respeito.

A oposição aponta uma série de erros e vícios no projeto de crédito suplementar e ameaça judicializar a questão, inclusive, sustenta que a sessão extraordinária, bancada pelo presidente Lawrence, ocorreu de forma ilegal e à margem do regimento interno da Casa.

A maioria ds vereadores que integram a atual legislatura em Mossoró tem dado constantes prova de sua ineficácia no papel de fiscalizar as ações de Executivo. Ao contrário disso, tem sucumbido aos caprichos do prefeito Allyson Bezerra, e se posicionado com os servidores municipais e a população de modo geral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.