RN terá investimento de mais de 130 milhões para reduzir mortes mães e crianças

RN terá investimento de mais de 130 milhões para reduzir mortes mães e crianças

A meta do Plano de Redução da Mortalidade Materna e na Infância é reduzir no estado para menos de 30 mortes para cada sem mil nascidos vivos como prevê a meta brasileira

Números:

70, óbitos de criança por 100 mil nascidos.

25, mães mortas em 2020.

800, mortes diárias no Brasil.

Governo do Rio Grande do Norte lançou, na manhã da segunda-feira (3), o Plano de Redução da Mortalidade Materna e na Infância. Elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), o plano prevê investimentos superiores a R$ 250 milhões em toda a rede materna do estado pelos próximos anos.

A meta do RN é reduzir para menos de 30 mortes para cada sem mil nascidos vivos como prevê a meta brasileira de cumprir o Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas(ONU).

A taxa de mortalidade de materna no Rio Grande do Norte em 2020, ficou acima de 70 óbitos para cada 100 mil nascidos vivos. Além disso, mais de 25 mulheres potiguares perderam a vida durante o período de gestação.

Já o número de crianças que morreram antes de completar sete dias de vida, ficou em 287, segundo dados parciais  que ainda estão sendo analisados.

A governadora Fátima Bezerra destacou a importância do trabalho para o RN. “É um plano que foi construído a várias mãos e que reforça que a vida das mulheres importa. O envolvimento dos gestores, universidades, Ministério Público e Poder Legislativo é fundamental para que este plano cumpra com sua missão de salvar vidas”, afirmou a chefe do Executivo.

Para os próximos dois anos a Sesap está investindo aproximadamente R$133 milhões em serviços de reforma e ampliação de diversas unidades, como o Hospital Dr. José Pedro Bezerra, em Natal, o Hospital Monsenhor Antônio Barros, em São José de Mipibu, e o Hospital Regional Dr. Mariano Coelho, em Currais Novos.

Através do Projeto Integrado de Desenvolvimento Sustentável do Rio Grande do Norte, haverá ainda a expansão da rede assistencial com 30 novos leitos de Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais: 10 em Currais Novos, 10 em São José de Mipibu e 10 em Natal, no Hospital Maria Alice Fernandes, que também receberá outros 10 leitos de UTI Neonatal.

O Governo do Estado também prevê inaugurar no segundo semestre de 2021 o Laboratório de Anatomia Patológica, em Natal, que vai agilizar os exames de diagnóstico para tratamento oncológico, principalmente de câncer de colo de útero e de mama. Foram investidos R$5,6 milhões através do projeto Governo Cidadão. Com previsão para o ano de 2022, o Hospital Regional Dr. Nelson Inácio dos Santos, em Assu, passará a contar com serviço de maternidade e também um banco de leite, em 2023.

Mais de 800 mulheres morrem diariamente no Brasil por problemas na gravidez

Dados da OPAS/OMS mostram que cerca de 830 mulheres morrem todos os dias por complicações relacionadas à gravidez ou ao parto em todo o mundo. No Brasil, as principais causas de morte materna registradas anualmente são hipertensão, hemorragias e infecção puerperal, podendo haver variações regionais na sequência de ocorrência. Contudo, especialistas consideram que mais de 90% dos casos são considerados evitáveis.

As evidências epidemiológicas demonstram que o Brasil vive um cenário epidêmico de cesarianas desnecessárias e indesejadas, sendo o país um dos campeões nas taxas de parto cirúrgico.

De acordo com o Governo do Estado, os dados no estado mostram o quão é necessário se colocar em prática ações que impactam diretamente para mudar esse cenário, desde garantir os direitos sexuais e reprodutivos, até instituir boas práticas de assistência à gestação, parto, nascimento e puerpério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *