Pequenos negócios somam 24,5 mil novas vagas abertas no ano

Pequenos negócios somam 24,5 mil novas vagas abertas no ano

Em oito meses, as pequenas empresas do Rio Grande do Norte geraram 24.501 novos postos de trabalho formal, mais de 4 mil somente no mês de agosto.

O Rio Grande do Norte continua em ritmo de recuperação dos postos de trabalho com carteira assinada perdidos, sobretudo na fase mais aguda da pandemia, e as micro e pequenas empresas têm desempenhado um papel decisivo nessa retomada das vagas de emprego. Em agosto, os pequenos negócios responderam por mais de 54% do total de novos empregos gerados no estado com a abertura de 4.058 novas vagas. O saldo de empregos no estado no oitavo mês do ano foi de 7.473 vagas geradas, o que posiciona o Rio Grande do Norte com o quinto melhor resultado entre os estados do Nordeste.

O dinamismo de novas contratações verificado no segmento das empresas de pequeno porte está sendo determinante para a economia potiguar. Porém, em agosto, as médias e grandes empresas também voltaram a apresentar resultados positivos, já que no saldo geral do mês não houve encerramento de vagas em nenhuma das organizações, independentemente do porte. As contratações nas médias empresas ultrapassaram as demissões em 1.301 vagas criadas, enquanto as grandes atingiram um saldo de 2.073 novos empregos no mês.

Esses dados constam no Mapa do Emprego no RN de agosto, uma publicação elaborada mensalmente pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, que analisa a evolução das contratações e demissões formais, tendo como base os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), referentes aos oito primeiros meses do ano, divulgados na quarta-feira (29), pelo Ministério do Trabalho e  Previdência. Desde janeiro do ano passado, o uso do Sistema do Caged foi substituído pelo eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas) para as empresas, o que traz diferenças na comparação com resultados dos anos anteriores a 2019. O boletim está disponível para visualização e download no portal do Sebrae www.rn.sebrae.com.br.

Ao longo do ano, os pequenos negócios acumulam a abertura de 24.501 novas frentes de trabalho no Rio Grande do Norte, ultrapassando o saldo total de novas vagas abertas entre os meses de janeiro e agosto, que foi de 23.957 empregos gerados. O resultado é superior porque, entre janeiro e maio, houve baixas consideráveis nas médias empresas, onde o número de demissões superou em muito as contratações, assim como também ocorreu nas empresas de grande porte.

Comparando as vagas abertas até agora no Rio Grande do Norte com o acumulado no mesmo intervalo do ano passado, verifica-se um crescimento notório e uma pronta recuperação do mercado de trabalho potiguar, uma vez que nos oito primeiros meses de 2020 o estado teve uma perda de 11,6 mil postos de trabalho, que foram encerrados.

Melhor agosto

ReproduçãoO boletim analisa a série histórica para o mês de agosto desde 2012 e, neste ano, a geração de emprego bateu recorde no Rio Grande do Norte. Foi melhor resultado, seguido do mesmo período no ano passado, quando o saldo de empregos formais foi de 5. 094 vagas, e de agosto de 2013, com 4.486 novas vagas criadas. Em relação a agosto de 2020, houve um crescimento de 26,6% no quantitativo de novos empregos. O saldo de agosto do ano passado foi de 5.904 postos.

No mês passado, a indústria foi o ramo de atividade que registrou a maior quantidade de contratações, com 2.590 postos de trabalho criados. O setor agropecuário também apresentou crescimento semelhante com 2.424 novas vagas abertas. Nos setores de comércio, serviços e construção, os saldos foram de 1.182 vagas, 720 vagas e 557 vagas, respectivamente.

O estudo do Sebrae-RN também mostra que a massa de trabalhadores empregados no Rio Grande do Norte atualmente chega a 456.198 pessoas contratadas com carteira assinada, o quinto maior estoque de empregos entre os estados nordestinos.

O Mapa do Emprego aponta ainda as regiões onde as contratações estiveram em alta ou em baixa no período. Em agosto, as oportunidades de novos empregos formais surgiram principalmente nos municípios de Natal, que gerou 1.929 vagas, e de Baia Formosa, com a criação de outras 1.056 vagas. Já Mossoró abriu no mês passado 1.016 novas vagas. As cidades, onde foram registrados os maiores números de fechamento de postos de trabalho, foram Patu (-103), Coronel João Pessoa (-59), Pedra Grande (-43), Caiçara do Rio do Vento (-30) e Goianinha (-24).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *