Fórum da Agricultura discute comércio de melões potiguares para a China

Fórum da Agricultura discute comércio de melões potiguares para a China

País asiático consome 17 milhões de toneladas, enquanto RN produz cerca de 200 mil toneladas da fruta por ano. Linha marítima direta é o grande desafio

Um novo passo para sanar entraves e ampliar substancialmente a parceria comercial entre Rio Grande do Norte e China no que diz respeito à exportação de melões. Este foi o principal resultado do 1º Fórum Internacional Agro, promovido, na tarde desta segunda-feira (17), pela secretaria estadual da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (SAPE) e que contou com as participações da Consulesa Geral da China, Sra.Yan Yuqing; do Cônsul Comercial, Shao Weitong; do Presidente da Federação de Agricultura, José Vieira; do Presidente do Coex RN, Fábio Queiroga; e o Superintendente do Ministério da Agricultura no RN, Roberto Papa; além do titular da SAPE RN, Guilherme Saldanha.

Sob o tema “As oportunidades e desafios do agronegócio sino-potiguar sob a perspectiva da exportação de melão da China” e realizado em formato on-line, o debate também contou a participação de alguns exportadores potiguar.

O secretário Guilherme Saldanha explica que os chineses têm total interesse na compra de grandes volumes (o mercado Chinês, com quase 1,4 bilhão de consumidores potenciais é um dos mais cobiçados do mundo) do melão potiguar, principalmente pelo fato de termos aqui no Estado áreas livres de Mosca da Fruta, condição imperativa para a importação do produto pelos asiáticos.

Segundo Saldanha, o maior entrave para formatar esta parceria é reduzir o tempo de viagem do melão, por intermédio de navios, para a China.

Hoje, as frutas que saem para o mercado asiático daqui do RN passam pelo Porto de Santos, o que faz com que a viagem dure em média 50 dias, tempo excessivo e que traz prejuízos para a qualidade com a qual o melão “Made in RN” desembarca no mercado Chinês.

“Nosso desafio agora é viabilizar rotas marítimas diretas entre o RN e a China, de modo que a viagem possa ser feita em 30 dias, aproximadamente. Isso será determinante para que eles possam comprar volumes cada vez maiores. Iremos mobilizar outros segmentos do Governo e, também, exportadores em geral, para que possamos viabilizar esta ligação direta. Será muito importante para a fruticultura do Estado e pode ter reflexos até mesmo em outros segmentos produtivos, tanto importadores quanto exportadores”, afirma Saldanha.

O Rio Grande do Norte é o maior produtor de melão do país, com uma média de 200 mil toneladas por ano (cerca de 60% da produção nacional). Só o mercado Chinês consome, todos os anos, nada menos que 17 milhões de toneladas da fruta. “Hoje nós temos no estado cerca de 20 mil hectares plantados com melão no RN. Entrando de maneira consistente no mercado Chinês, facilmente poderemos triplicar esta área e, com ela, o número de empregos gerados pela cultura”, afirma Guilherme Saldanha. Hoje, no RN, cerca de 19 mil pessoas são empregadas na cultura do melão. 

A China recebeu o primeiro embarque de melões potiguares em setembro do ano passado, mas por via aérea (que tem custo muito mais alto que a marítima). Cerca de três toneladas e meia de melão pele de sapo, da região de Mossoró, desembarcaram no Aeroporto de Xangai no dia 18 daquele mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *